sábado, 13 de dezembro de 2014

No mar e na rocha

Sobre nada, insisto.
Entreguei-me às feras
Sem nem sentir
Covarde. Talvez.
Pouco importa
Se o tempo não volta,
Ficar dando voltas, pra quê?
Insisto.
Sobre nada
A ponto de pouco me restar.
Nem mesmo você.
Por que não adianta de vez
E deixa o tempo investir assim
No mar e na rocha?
Sobre nada.
[em mim]
Insisto.

Postar um comentário