terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Me olha...

Me olha
De olhar veludo
Sem fim
De gesto molhado
E distinto daquilo que procuro
E me olha
Sem fim
De uma pressa sem demora
Olha
A qualquer hora
Num tom claro ou escuro
Sonhando ou acordado
E...
Sem fim
Aquilo que procuro
Me olha
Olha[r] véu e tudo
Na hora
No claro
No escuro
Sem pressa, [vem] demora
Sem fim
E me olha


(em 26 de janeiro de 2011)
Postar um comentário