quinta-feira, 17 de setembro de 2009

A Cesar o que é de Cesar. E aos Alunos o que é dos Alunos

Não estamos aqui dizendo que o governo municipal de João Pessoa é um monstro de ditador, pois muita coisa ele já fez em prol do município (como as praças, o PSFs, incentivos a cultura popular, a Integração e bla bla bla) coisas que são obrigação de um governo que governa pro povo, mas também algumas coisas que são complementares (claro que ainda pode melhorar, né Ri?). Mas colocar palavra na boca dos alunos de nono ano de uma escola municipal é demais, assim como é demais também retirar algumas outras palavras que os pequenos artistas escreveram.


João Pessoa é um lugar muito bom de morar
Mas a prefeitura e suas secretarias tudo querem manipular
Até mesmo um cordel de escola eles tiveram de modificar
E os alunos autores da obra em Ricardo deixaram de acreditar.
(Autor de Ira)


Bom, talvez as coisas não sejam tão dramáticas assim como nos versos acima, mas a arte é dramática e a vida uma constante problemática. Esses versinhos ingênuos nos mostram a mais pura realidade, principalmente dentro das escolas municipais. Recentemente alunos de uma escola municipal produziram um cordel, um cordel que com uns ajustes aqui e ali, para não ficar tão repetitivo, ficou liiindo! Os professores da escola adoraram a produção que os alunos fizeram. Então o cordel, agora, só precisava ser formatado e impresso. O projeto de cordel nas escolas é (uma imposição) da Secretaria de Educação do Município da cidade e a mesma se comprometeu a imprimi-los, imprimir não sei quantos, mas seriam muitos. Ótimo, até aí, até o projeto ser da Secretaria tudo bem, né mesmo? Afinal, mais do que justo um órgão municipal incentivar a cultura popular. Parabéns para prefeitura. No entanto é muito diferente incentivar e modificar. Pois os alunos fizeram o cordel, como foi dito anteriormente, e a prefeitura, no momento de imprimi-lo, o modificou e acrescentou sua campanha política, seus milhares de profissionais importantes e candidatos que ninguém nem sabe que existe. Enquanto que os pequenos autores, revoltados com o que se tornou o seu trabalho, tiveram os seus nomes errados na ultima página do cordel.

É justo?

Que importa se é justo.

O que importa é que segundo uma funcionária da secretaria é que “o projeto é da secretaria”.

Sabe o que importante numa escola? Sabe? Não é se o aluno está aprendendo ou participando. Não é se o aluno, do jeitinho dele, sabe ou não se expressar, ou se os professores cumprem com suas obrigações e se desdobram pra aplicar os projetos (impostos) da secretaria ou do governo federal em meio as atividades escolares. O importante é que depois de um projeto bem sucedido o nome do governo, que idealizou e nem ao menos se esforçou em conhecer os realizadores da obra, está assinado no final de tudo. Pelo menos foi isso que se deu a entender depois da frase da funcionária da secretaria.

Enfim, disseram aos alunos que o tema do cordel era a Paz (tema já muito manjado, mas muito necessário), não disseram aos alunos “olha, vocês tem de falar da paz, certo? Mas antes precisam apoiar a prefeitura, dizer que ela é legal, ta?”. Não, ninguém disse que os alunos deveriam puxar o saco de Ricardo e toda a sua companheirada. Ninguém.

E vejam que grande surpresa que tivemos ao abrir o primeiro cordel e encontrarmos de cara este primeiro verso:

“A Secretaria de Educação
Lançou um belo projeto
Que nos ajuda a aprender
Pra no final dá tudo certo”

???????????????????

Vocês já viram algum aluno de 14 anos pensar em alguma coisa desse tipo? Eles não estão nem aí pra secretaria X ou Y. Eles querem qualquer outra coisa que eu também não o que é (!!!).

Depois outro verso genial (da secretaria)
“Eu estudo nesta escola
Que possui muita gente
Cada vez que venho aqui
Fico mais inteligente”

Genial, né? Até porque os alunos realmente pensam que vão pra escola ficar mais inteligentes. Eles acham a escola é um saco (verdade seja dita). Uns poucos gostam da escola.

E para finalizar as transformações da secretaria:

“Resumindo tudo eu digo
Nós temos que estudar
Lutarmos por justiça
E o planeta melhorar”.

Falando sério: nem eu faria algo assim. Pense numa raiva!

Mas assim que eu tiver o cordel original em mãos eu o posto aqui juntamente com o modificado pra vocês verem como os alunos do nono ano de uma escola municipal são mais criativos do que uma secretaria @#¨$¨&$%@#!!!!
Postar um comentário