domingo, 27 de julho de 2008

Primeira parte

I

Você, que segue nessa doce ignorância,
Sobriamente infeliz
Se deixe beber pelos caminhos tontos,
Prove da cachaça/vinho que lhe oferecem...
Não, criança, não siga as setas que nos apontam o céu
Prove da cachaça/vinho que lhe oferecem
E nade!
Nade e não volte mais
Não olhe nem pra trás
O mar já te envolve
(continue a nadar)

E você, que não é tão sóbria
que não é tão infeliz
Prove cachaça/vinho
E nade!
Postar um comentário